Alavancagem financeira: a combinação estratégica de capital próprio com o capital de terceiros para financiar operações e amplificar os ganhos

Alavancagem financeira: uso de capital de terceiros (dívida) para financiar operações
Conteúdo

A alavancagem financeira é usada por investidores individuais, traders, empresários e até mesmo consumidores comuns para amplificar os ganhos. 

Os investidores e traders utilizam a alavancagem financeira ao negociar ativos financeiros, como ações, moeda, commodities e derivativos.

Com a alavancagem, eles podem controlar uma posição maior do que seu capital próprio, amplificando os ganhos potenciais, mas também os riscos.

Já os empresários e empresas recorrem à alavancagem financeira para financiar operações e investimentos.

Como o uso de empréstimos bancários, emissão de títulos de dívida ou até mesmo a emissão de ações adicionais. 

Por último, os consumidores fazem uso dela em determinadas situações, como para obter empréstimos para comprar uma casa ou para financiar a compra de um carro. 

O uso de cartões de crédito pelos consumidores, também pode ser considerado uma forma de alavancagem financeira.

Pois, os consumidores estão essencialmente tomando empréstimos para fazer compras e pagando esses empréstimos com juros.

Portanto, para saber mais detalhes sobre a alavancagem financeira, leia este artigo até o final.

Alavancagem financeira: o que é? 

A alavancagem financeira é uma estratégia utilizada para amplificar os ganhos através do uso da dívida. 

Usam-se fundos emprestados para financiar as operações ou investimentos, visando amplificar o retorno sobre o patrimônio líquido.

Em outras palavras, usa a combinação de capital próprio e capital de terceiros (dívida) para financiar operações.

Em resumo, a alavancagem financeira é uma ferramenta comum utilizada por diversos indivíduos e entidades.

Para amplificar seus recursos e oportunidades financeiras.

Mas seu uso também traz consigo riscos que devem ser cuidadosamente considerados e estudados.

Leia também sobre: Alavancagem: 14 formas que amplificam resultados financeiros em diferentes contextos

Alavancagem financeira: como funciona?

A alavancagem financeira funciona da seguinte forma, ela amplia os recursos financeiros, usando uma combinação de capital próprio e capital de terceiros, como o que se segue

  1. Capital próprio: são os fundos que já possui, incluindo o capital dos acionistas em uma empresa ou os próprios fundos de um investidor individual.
  2. Capital de terceiros (dívida): é o dinheiro emprestado de terceiros, como de bancos, instituições e fundos financeiros ou investidores em títulos de dívida.
  3. Ampliação dos recursos: uso de proporção maior de capital de terceiros em relação ao seu capital próprio para financiar as operações ou investimentos. 
  4. Potencial de retorno amplificado: amplia o retorno sobre o investimento. Isso ocorre porque os juros pagos sobre a dívida podem ser menores do que o retorno gerado pelos investimentos financiados por ela.

Esse é um exemplo de alavancagem financeira: 

Uma empresa deseja expandir suas operações e precisa de R$ 17 milhões para financiar o projeto. 

Ela tem R$ 2 milhões em capital próprio e decide financiar o restante por meio de empréstimo, nesse caso, a empresa está usando alavancagem financeira. 

Obtendo o empréstimo de R$ 15 milhões, ela terá um total de R$ 17 milhões para financiar a expansão.

Em outras palavras, ela apenas usou uma parte do seu próprio capital para financiar, e o restante surgiu do empréstimo feito.

A alavancagem financeira, portanto, é uma estratégia que pode envolver o uso cuidadoso do endividamento para maximizar os retornos.

Mas também vale lembrar que traz consigo riscos adicionais que devem ser considerados e gerenciados adequadamente.

Quais são os riscos da alavancagem financeira?

Os riscos da alavancagem financeira são os seguintes:

Risco de insolvência ou inadimplência 

Um dos principais riscos da alavancagem financeira é a ampliação da vulnerabilidade a situações de insolvência ou inadimplência. 

Se os retornos sobre os investimentos financiados pela dívida não forem suficientes para cobrir os custos da dívida (incluindo juros e principal).

Pode enfrentar dificuldades para cumprir suas obrigações financeiras.

Esse risco é mitigado com a internacionalização para fins de crédito.

Pois o empresário tem a possibilidade de fazer aportes sucessivos, reperfilando a dívida em novas operações, coisa impossível no Brasil.

Risco de taxa de juros

Como a alavancagem financeira amplia a exposição ao risco de taxas de juros, se as taxas de juros amplificarem, os custos do serviço da dívida também aumentarão.

O que pode reduzir os lucros e a capacidade de cumprir as obrigações financeiras.

Risco operacional e de negócios

Alavancar a empresa pode ampliar a exposição a riscos operacionais e de negócios. 

Se o investimento financiado pela dívida não gerar os retornos esperados devido a mudanças no mercado.

Pode prejudicar a capacidade da empresa de pagar a dívida e afetar sua estabilidade financeira.

Risco de mercado

 A alavancagem financeira também pode ampliar a exposição ao risco de mercado. 

Como flutuações nos preços de ativos, taxas de câmbio ou taxas de juros.

Eles podem ter um impacto significativo sobre os resultados financeiros, especialmente se os ativos financiados pela dívida forem altamente voláteis.

Risco de perda de controle

O uso da alavancagem pode levar à perda de controle sobre a empresa. 

Se a empresa não conseguir cumprir suas obrigações de dívida, os credores podem tomar medidas para recuperar o valor emprestado.

Como a venda de ativos ou a reestruturação da empresa.

Risco de reputação

A alavancagem financeira também pode afetar a reputação da empresa. 

Se os investidores, clientes, fornecedores ou outros stakeholders perceberem que a empresa está em dificuldades financeiras devido à alavancagem excessiva.

Como mitigar os riscos da alavancagem financeira?

É possível mitigar os riscos da alavancagem financeira com uma abordagem abrangente que envolve uma combinação de estratégias financeiras, gestão de riscos e comunicação eficaz com os stakeholders.

Mitigação do risco de insolvência ou inadimplência

Investir em ampla gama de ativos ajuda a reduzir o risco de perda total em caso de desempenho insatisfatório de um único investimento.

Deve-se evitar o endividamento excessivo e manter proporção adequada entre capital próprio e capital de terceiros pode reduzir a probabilidade de inadimplência.

Mitigação de risco de taxa de juros

Utilizar de instrumentos financeiros para proteção contra flutuações nas taxas de juros, como de taxa de juros ou contratos futuros.

Monitorar o mercado de taxas de juros e refinanciar a dívida quando as taxas estiverem baixas pode ajudar a reduzir os custos do serviço da dívida.

Mitigação de risco operacional e de negócios

Realizar análise rigorosa de viabilidade antes de tomar a decisão de investimento ou expandir operações.

Implementar práticas sólidas de gestão de riscos operacionais e de negócios para identificar e mitigar ameaças potenciais.

Mitigação de risco de mercado

Investir em diferentes classes de ativos para reduzir a exposição a riscos específicos de mercado.

Utilizar de instrumentos de hedging, como opções e futuros, para proteger contra flutuações de preços.

Mitigação de risco de perda de controle

Evitar o endividamento excessivo ajuda a preservar o controle da empresa e reduzir a probabilidade de intervenção de credores.

Fazer negociação de termos favoráveis em contratos de dívida, como cláusulas de covenants que protegem os interesses da empresa.

Mitigação de risco de reputação

Manter os investidores, clientes, fornecedores e outros stakeholders informados sobre a situação financeira da empresa.

Adotar práticas de governança corporativa robustas e éticas para demonstrar compromisso com a transparência e a responsabilidade.

Em poucas palavras, a mitigação dos riscos associados à alavancagem financeira requer abordagem abrangente que envolve uma combinação de estratégias financeiras, gestão de riscos e comunicação eficaz.

Por isso, é importante estudar sobre a alavancagem financeira para prever os riscos relacionados a ela e antecipar um plano de ação de mitigação.

Alavancagem financeira e joint venture

A alavancagem financeira e a joint venture estão correlacionadas na forma como as empresas utilizam essas estratégias para ampliar suas capacidades e oportunidades de crescimento.

Como em aplicação de recursos, compartilhamento de riscos, na expansão da presença da empresa em novos mercados ou setores, e controle das operações.

Alavancagem financeira e crédito internacional

A alavancagem financeira e o crédito internacional, ou ACI, tem correlação em como as empresas podem utilizar o crédito internacional como uma forma de alavancagem para ampliar suas operações e investimentos.

Já que no cenário internacional é possível captar em alavancagens sucessivas, sem a limitação de BACEN, por exemplo.  

Alavancagem financeira e cessão temporária de garantias

A alavancagem financeira e a cessão temporária de garantias também tem correlação em como as empresas utilizarão o crédito internacional para fazer alavancagem.

Com a diferença de que a cessão temporária é uma porta aberta, uma oportunidade para as empresas realizarem a primeira operação de crédito internacional.

Mesmo que não possua imóvel próprio para utilizar como colateral.

Em resumo, nesse artigo, vimos a definição e o funcionamento da alavancagem financeira até sua correlação com estratégias importantes como joint ventures, crédito internacional e cessão temporária de garantias. 

Agora que você já conhece mais sobre o assunto, que tal compartilhar o conteúdo do blog? 

Compartilhe com sócios, amigos, conhecidos, familiares ou parentes que precisam conhecer mais sobre a alavancagem financeira.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro − 3 =

Posts recomendados

A Inteligência Comercial é a representante exclusiva da Savel Capital Partners no Brasil, para operações de crédito.

Savel Capital Partners é a única representante do Kennedy Funding Financial para o Brasil.

Savel capital partners