Joint venture é a melhor proposta para alcançar grandes objetivos empresariais coletivos

Imagem que representa organização empresarial
Conteúdo

A joint venture é um processo valioso para empresas que tem projetos em grande escala. 

Como investimentos significativos, desafios financeiros, operacionais ou que procuram atingir algum objetivo maior.

Ela proporciona a abordagem colaborativa com o intuito de superação de obstáculos conjuntamente.

Essa superação aumenta oportunidades e diminui riscos para as empresas envolvidas nesse modelo de negócio.

Entenda mais sobre a joint venture nos próximos tópicos.

Joint venture: o que é? 

A joint venture é a parceria empresarial temporária entre duas ou mais empresas.

As empresas se reúnem para criar um projeto específico ou atingir um objetivo de negócios que elas têm em comum.

Na parceria, elas mantêm suas identidades separadas, mas colaboram conjuntamente no desenvolvimento.

Compartilham recursos, riscos, custos, ou lucros associados ao projeto, dependendo da forma de estruturação que for escolhida.

Portanto, existem diferentes formas de estruturação de joint ventures, que você poderá ver nos tópicos abaixo. 

Resumidamente, empresas que desejam explorar novos mercados.

Desenvolver novos produtos.

Enfrentar desafios complexos.

Criam a joint venture para alcançar os objetivos que têm em comum.

No entanto, é possível afirmar que o intuito de explorar alguma atividade econômica que gere lucro, é o principal motivo da parceria entre as empresas.

Quais são os principais benefícios de realizar a joint venture? 

A joint venture oferece vários benefícios para as empresas envolvidas.

Mas isso depende principalmente dos objetivos e das circunstâncias específicas pela qual ela for criada.

Esses são os principais benefícios da sua criação: 

  • Divisão de custos e riscos relacionados ao projeto.
  • Compartilhamento de competências, recursos e experiências.
  • Facilitação na entrada de novos mercados.
  • Cooperação operacional.
  • Combinação de habilidades para criação de novos produtos ou tecnologias.
  • Competitividade entre as empresas envolvidas.
  • Posicionamento mais forte no mercado.
  • Flexibilidade e agilidade nas operações.
  • Crescimento da base de clientes.
  • Aumento na oportunidade de vendas.
  • Possibilidade de conseguir capital internacional.

Esses são alguns benefícios que você pode considerar ao criar uma joint venture.

Quais são os problemas que a joint venture pode resolver?

Existem vários tipos de joint ventures e cada uma delas traz algum benefício específico, assim como também resolve algum problema em específico.

Mas em linhas gerais, observando a natureza das joint ventures existentes, conseguimos listar alguns problemas que elas resolvem:

  1. Habilidade em lidar com investimentos de grande porte. 
  2. Auxilia as empresas a expandir aos mercados internacionais.
  3. Supera a limitação de recursos quando combinado competências e ativos.
  4. Minimiza desafios complexos de pesquisa e desenvolvimento.
  5. Explora oportunidades de negócios com parceiros especializados.
  6. Dá a possibilidade de conseguir capital com bancos internacionais.

Esses são alguns exemplos de soluções dos problemas que podem ser resolvidos por meio das joint venture. 

Mas um dos maiores problemas, e um dos mais comuns, que ela pode resolver é o compartilhamento de riscos e custos.

Qual é a diferença entre joint venture e holding?

A diferença entre a joint venture e a holding é que ambas têm finalidades distintas, sendo aplicadas em contextos diferentes.

Elas não têm aplicabilidade em comum.

A joint venture é a parceria temporária entre duas ou mais empresas que se unem para realizar um projeto específico.

Ou pretendem atingir um objetivo de negócios comum.

Já a holding é a empresa que detém a maioria das ações de outras empresas. 

Ela não está necessariamente envolvida nas operações diárias, mas detém controle acionário.

Com outras palavras, a holding é uma estrutura de propriedade a longo prazo em que uma empresa controla outra, detendo as suas ações.

Em resumo, a joint venture e a holding atendem a propósitos distintos no âmbito empresarial.

Quais são os tipos de joint venture?

Essas são algumas maneiras de fazer parcerias com outras empresas:

Equity Joint Venture: Joint Venture de Capital

A joint venture de capital é a colaboração entre empresas no qual contribuem financeiramente para o empreendimento.

Nesse acordo, as empresas investem capital na joint venture, e a propriedade da entidade resultante é distribuída proporcionalmente.

Considerando as contribuições financeiras de cada parceiro.

Por exemplo:

As empresas A e B formam a joint venture de capital para desenvolver e comercializar uma nova tecnologia. 

A empresa A investe 60% do capital necessário.

Enquanto a empresa B investe os 40%. 

Consequentemente, a empresa A detém 60% da participação acionária na joint venture, e a empresa B detém os 40% restantes. 

Ambas as empresas compartilham os riscos financeiros e os benefícios resultantes do sucesso da nova tecnologia.

Contractual Joint Venture: Joint Venture Contratual

A joint venture contratual é a forma de colaboração na qual a cooperação é estabelecida por meio de acordos contratuais específicos.

Nessa joint venture, as empresas concordam em colaborar em projetos específicos ou em áreas de interesse comum.

Porém, mantêm suas identidades corporativas distintas.

Por exemplo:

As empresas A e B assinam contrato para colaborar em uma captação de crédito via operação de capital internacional para executar seus projetos no Brasil.

O contrato abrange os detalhes da colaboração, como responsabilidades, prazos, compartilhamento de custos e benefícios. 

Após a conclusão da captação, a colaboração pode ser encerrada, e cada empresa continua operando de forma independente.

Cooperative Joint Venture: Joint Venture Cooperativa

Essa joint venture é a colaboração onde as empresas trabalham juntas de maneira cooperativa para atingir objetivos comuns.

Elas compartilham recursos, conhecimentos e esforços.

Mantêm identidades jurídicas distintas, mas cooperam em diversas áreas.

Como produção, distribuição, pesquisa e desenvolvimento, marketing ou qualquer outro aspecto do negócio.

Por exemplo:

As empresas, A e B, decidem formar a joint venture cooperativa para desenvolver e comercializar produtos inovadores. 

Embora cada uma mantenha sua independência operacional, elas compartilham recursos de pesquisa e desenvolvimento, conhecimentos técnicos e redes de distribuição.

Ações estas para lançar os produtos no mercado.

Risk-Sharing Joint Venture: Joint Venture de Risco Compartilhado

A joint venture de risco compartilhado é a colaboração empresarial em que duas ou mais empresas se unem para realizar um projeto ou atividade específica.

Compartilham tanto os custos quanto os riscos associados a essa empreitada. 

Nesse modelo, elas contribuem com recursos financeiros, técnicos ou operacionais.

Os benefícios e riscos são distribuídos entre elas de maneira proporcional à sua participação no empreendimento conjunto.

Por exemplo:

As empresas, A e B, decidem colaborar num projeto de desenvolvimento de um produto inovador. 

A empresa A contribui com 60% dos recursos financeiros e a empresa B com os 40% restantes. 

Ambas compartilham os custos e os riscos associados ao projeto, assim como os benefícios resultantes do sucesso do produto.

Strategic Joint Venture: Joint Venture Estratégica

Nessa joint venture a colaboração tem o intuito de alcançar objetivos estratégicos compartilhados. 

As empresas parceiras colaboram de maneira estratégica para aproveitar cooperação que beneficia ambas as partes.

Como entrar em novos mercados, desenvolver tecnologias inovadoras ou melhorar a competitividade.

Por exemplo:

As empresas formam a joint venture estratégica para desenvolver conjuntamente uma nova plataforma de software. 

Elas compartilham recursos técnicos, conhecimentos e investimentos para criar a solução inovadora que beneficiará ambas as empresas.

International Joint Venture: Joint Venture Internacional

Essa é a Joint venture que envolve a participação de empresas de diferentes países para alcançar objetivos comerciais específicos. 

Nesse acordo, as empresas colaboram além das fronteiras nacionais.

Muitas vezes combinam recursos, conhecimentos e experiências para explorar oportunidades em mercados internacionais.

Por exemplo:

Uma empresa sediada nos Estados Unidos e outra no Japão.

Elas decidem formar a joint venture internacional para desenvolver e comercializar uma nova tecnologia de energia renovável. 

Cada empresa contribui com seus recursos e conhecimentos específicos de mercado para aproveitar as oportunidades globais.

Product Development Joint Venture: Joint Venture de Desenvolvimento de Produto

Aqui as empresas se unem para criar e desenvolver conjuntamente um produto ou uma linha de produtos específica

Nesse tipo de acordo, elas compartilham recursos, conhecimentos técnicos e esforços para inovar e lançar um produto no mercado.

Por exemplo:

Empresas especializadas em tecnologia e design de eletrônicos.

Elas decidem formar a joint venture de desenvolvimento de produto para criar uma nova linha de smartphones inovadores. 

Cada empresa contribui com seus conhecimentos em design, tecnologia e marketing para desenvolver conjuntamente a série de produtos.

Horizontal Joint Venture: Joint Venture Horizontal

Nessa joint venture há a colaboração entre empresas que operam no mesmo setor ou segmento de mercado. 

Nesse tipo de acordo, as empresas que são concorrentes diretas se unem para realizar atividades específicas.

Como compartilhar recursos ou explorar oportunidades em conjunto, enquanto continuam a competir em outras áreas dos negócios.

Por exemplo: 

Fabricantes de automóveis, A e B, decidem formar a joint venture horizontal para colaborar no desenvolvimento conjunto de uma nova tecnologia. 

Embora continuem competindo no mercado de automóveis, elas compartilham recursos e conhecimentos.

Vertical Joint Venture: Joint Venture Vertical

A joint venture vertical é a forma de parceria entre empresas que operam em diferentes estágios. 

Nesse tipo de acordo, as empresas estão envolvidas em diferentes etapas da produção, distribuição ou comercialização de um produto, ou serviço.

Long-Term Joint Venture: Joint Venture de Longo Prazo

A joint venture de longo prazo tem a intenção de perdurar por um período extenso

Aqui as empresas se comprometem a trabalhar juntas em projetos específicos ou em operações contínuas por um tempo determinado.

Por exemplo: 

Empresas farmacêuticas decidem formar a joint venture de longo prazo para pesquisa e desenvolvimento contínuo de novos medicamentos. 

Elas planejam colaborar por um período estendido, compartilhando recursos, conhecimentos científicos e especialização para impulsionar a inovação no setor.

Tem algum exemplo de empresa que fez uma joint venture?

Sony Ericsson (Sony e Ericsson)

A Sony Ericsson era uma joint venture entre a Sony Corporation e a Ericsson, que focava na produção de telefones celulares e outros dispositivos móveis.

Renault-Nissan-Mitsubishi Alliance

Envolve a colaboração profunda em termos de desenvolvimento de tecnologia, compartilhamento de plataformas e estratégias de mercado entre as montadoras.

Hulu (Disney, Comcast, AT&T)

Hulu é uma plataforma de streaming de vídeo que foi inicialmente uma joint venture entre a Disney, a Comcast e a AT&T. 

Airbus (Consórcio Europeu)

Airbus é uma fabricante de aeronaves que tem parcerias com várias empresas europeias, como a Airbus Group, BAE Systems, DaimlerChrysler Aerospace, outras.

Veoneer (Autoliv e Nissin Kogyo)

Empresa de tecnologia automotiva inicialmente formada como uma joint venture entre a Autoliv e a Nissin Kogyo.

PepsiCo e Strauss Group (Sabra)

É uma joint venture entre a PepsiCo e a Strauss Group, especializada na produção de alimentos.

Vale anotar que a natureza e a estrutura das joint ventures tem a tendência de evoluir, o que resulta em aquisições ou mudanças na participação acionária.

Como funciona a joint venture para aporte de capital internacional?

A joint venture para o aporte de capital internacional, é a abordagem onde as empresas se unem para fornecer financiamento ou crédito.

Esse tipo de colaboração é usada quando há a necessidade de mobilizar recursos financeiros consideráveis.

Por exemplo:

Empresa A faz estruturação financeira empresarial para a empresa B, conjuntamente com a parceria com o banco emissor e banco monetizador.

Para realizar essa estruturação há apenas uma empresa qualificada no Brasil para realizar a joint venture para o aporte de capital internacional.

Quais empresas podem fazer joint venture para aporte de capital internacional?

As empresas que podem usar a joint venture para aporte de capital internacional, ou ACI, podem ser: 

  • Startups.
  • Energia renovável.
  • Saúde e ciências.
  • Serviços financeiros.
  • Manufatura avançada. 
  • Setor imobiliário. 
  • Setor de alimentos e bebidas.
  • Empresas de serviços globais. 
  • Indústria do turismo.
  • Setor de educação.
  • Empresas que buscam expandir globalmente.
  • Empresas que desejam se internacionalizar para conseguir capital internacional.

Agora que você sabe o que é, os benefícios, os problemas que resolvem, os modelos, e como funciona a joint venture para aporte de crédito internacional.

Compartilhe esse conteúdo com alguém que esteja precisando saber mais sobre joint venture.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 3 =

Posts recomendados

Mercado de crédito enfrenta problemas?

Mercado de crédito enfrenta problemas?

Em meio a um cenário de exaltação no mercado de crédito, com números recordes de emissões de debêntures e outros instrumentos de dívida corporativa no primeiro trimestre de 2024, surge um indício preocupante: a festividade parece estar perdendo sua vitalidade.

CONTINUAR LENDO »

A Inteligência Comercial é a representante exclusiva da Savel Capital Partners no Brasil, para operações de crédito.

Savel Capital Partners é a única representante do Kennedy Funding Financial para o Brasil.

Savel capital partners